dear,

Não sei muito bem por onde começar Nana (sim, a gente recuperou o apelido de infância), perdi o jeito de escrever pra mim mesma anos atrás, talvez na sua idade sabe? Então cuidado pra não perder também. Continue escrevendo suas coisas nestes caderninhos de folhas amareladas que esconde no armário, porque o papel continua sendo um ótimo, senão o melhor, ouvinte. Continue escrevendo, mesmo que digam que não deva, mesmo que não lhe deem o crédito por isso, mesmo que incomode. Continue por você, pra amadurecer essas palavras que brotam nos seus dedos. As coisas não vão mudar tanto assim, a não ser que agora você mostra o que escreve num blog - daqui uns anos você descobrirá a internet e vai entender do que estou falando - e não tem ligado muito para o que os outros pensam da sua escrita. A gente parou de tentar provar algo às pessoas. 


Muitas situações continuarão a ser cruéis e você terá de se acostumar com isso. Treine a sabedoria e aprenda a não ouvir certas coisas, deixando que elas saem do ouvido com a mesma rapidez que entrarem. Será difícil, não vou mentir, mas não deixe de tentar, irá nos ajudar muito lá na frente. E pare de se arrastar tanto assim pra conseguir manter a amizade das pessoas, você não precisa disso. Apenas pare, agora. Não corra atrás tanto assim, porque mesmo agora, muito do que a gente faz, passa despercebido, infelizmente. Outras pessoas,que se esforçam bem menos, serão mais valorizadas que a gente, então, por favor, pare. Aproveita e pare de tentar entender porque as coisas são assim, elas simplesmente são e pronto, você não tem controle de nada. Lá na frente,  você não vai entender o porquê do evento  do fulano ou ciclano emocionar mais seus amigos que o seu, então pare. Só você sofre e não vale a pena. Tente entender que a maneira como as pessoas te tratam, porque só porque elas não te tratam da maneira como você espera, não significa que não te amem com tudo que elas podem. 



Falando em amar, não deixe de falar pras pessoas que você gosta o quanto são importantes pra você. Um dia, alguém te ensinará que devemos deixar todos os dias, as pessoas amadas com palavras de carinho, porque a gente não sabe nada do que vai acontecer amanhã. Mesmo que nossos pais se retraiam quando dizemos "eu te amo", continue a dizer e todos os dias, que aos poucos, eles aprenderão a te dizer também.



Não se esqueça de passar na casa da vovó hoje na hora do almoço e sempre que ela chamar, almoce com ela e aproveite aquele feijão delicioso que só ela sabe fazer. Jante com ela às terças às cinco da tarde e a acompanhe até a Igreja e à costureira e sempre que ela pedir, vá a padaria buscar aquele pãozinho pintadinho com queijo que ela tanto gosta. Não esquece que ela não gosta de pão muito branco. Dá um beijo nela e um abraço bem forte. Diz que sinto saudades todos os dias, e sempre maior. E diz também, que meu amor por ela é infinito. ♥



Continue a ler sem parar, isso determinará muita coisa na sua vida. As amizades incríveis que você ainda fará, parte da escolha da sua profissão e até o que as pessoas pensam de você. Ler hoje, é um hábito tão escasso e raro que você será lembrada positivamente por isso. E não deixe de ir à Biblioteca, que ela continua um excelente refúgio para os dias de luta.



Seja mais paciência com a Maria. Tente entender que a criação de vocês é diferente e brigue menos. Carinho e diálogo são sempre as melhores escolhas. Mas não deixe de colocar suas opiniões, que no futuro, ela te respeitará muito por isso. Cuide dela com carinho e aproveite as tardes que passam juntas. Ela crescerá tão rápido e se tornará uma menina tão linda, que você nem vai perceber. Aproveite-a. 

E só mais uma coisa: nunca perca essa humildade que carrega consigo e esta vontade de ser melhor e ser doce com as pessoas. Você conhecerá tanta gente egoísta, que sua suavidade fará a diferença em algum momento. Não tente ser dura pra se encaixar em algum grupo, você não precisa. E óh, a gente continua sabendo que ninguém é melhor que ninguém e  a gente não faz com os outros, o que não queremos que façam conosco. E continuamos a colocar a nossa dor no bolso pra cuidar da do amigo, e acho que isso não vai mudar nunca. 

E Nana?! Não deixe de ouvir rock'n roll e mpb, mas pode dar uma chance aos outros gêneros, você não vai se arrepender.

Carinho meu,
Você de vinte e três anos.

(Blogagem Coletiva Elite Blogueira ♥) 

(Vovó foi morar no céu em Junho de 2007 
e desde então, 
meu coração carrega o vazio da saudade dela.)

o dia que não terminou

e nem terminará tão cedo. E não tô falando só de futebol.

Começou como um dia comum de feriado em Belo Horizonte, dia de aproveitar mais a cama quentinha e de se espreguiçar com calma, pra depois colocar a casa em ordem, devagar e com cuidado. Começou e depois, os amigos chegaram pra juntar-se a nós, na torcida. Bandeira na televisão, camisa da sorte e sapatilha azul cheia de estrelas pra inspirar. Nada de preto ou vermelho, mas o amarelo foi inevitável. Cerveja Brazuca. Superstições até com o canal a ser assistido, que parecia não parar de exibir replay. Foi doído ver a Seleção do Felipão sumirem no jogo daquele jeito, foi doído ver aquele massacre alemão em cima da gente e foi doído ver o David Luiz se desculpar com todos os brasileiros, muito doído.

own Davizinho. ;(

Mas nada doeu - e dói - mais que ver o quanto as pessoas são, são.... egoístas? Não sei. Só sei que vi muita gente vestindo a camisa do nosso país desde 12 de junho e ontem, quando as coisas ficaram muito difíceis, a tirarem e pisarem em cima dela, como se até o último jogo não estivessem vibrando e torcendo para que os últimos degraus fossem alcançados com sucesso. Ser patriota na Copa é muito fácil né?


Doeu porque não vejo essas mesmas pessoas fazerem algo pra mudar a situação do país - ou da casa, da rua, do bairro - e ficam cobrando e julgando quem, até agora, continua "brasileiro com muito orgulho, com muito amor", apesar dos pesares. Nós não podemos negar quem somos. Não existe ex-brasileiro, mas existe um tal de "Pátria Amada Brasil" apenas quando estamos ganhando um jogo, que pelamordeDeus. Fora isso, nada tá certo, tudo é um grande amontoado de porcarias, nada serve, ninguém presta. 


Ontem desabafei no facebook e fazia anos luz que não o fazia. Ontem escrevi revoltada na rede social, porque minha paciência é curta demais e as vezes fico muito  p. da vida ao ver e ler certas coisas, mas não farei mais além deste texto. Farei minha cara de paisagem e silenciarei, enquanto mentalmente mandarei todo mundo reclamão ir catar coquinho no asfalto e pegar a vergonha na cara de volta, porque a gente não torce pro time só quando ele tá ganhando e o nosso país não é pra ser amado somente quando tátendomuitaCopa. Nós somos melhores que isso. Você é melhor que isso.

Desabafei ontem porque doeu demais ver o país sendo esculachado por causa de uma derrota - não foi uma, foi A derrota - por pessoas que não movem uma palha pra mudar alguma coisa nesse mundo. Devem ser as mesmas pessoas que jogam lixo na rua e reclamam de enchentes. São as mesmas pessoas que reclamam do transporte público e tem três carros na garagem (só pra encher mais e mais as ruas). São as mesmas pessoas que riem de você quando diz que o Brasil tem jeito se a gente começar a mudança. São as mesmas pessoas que te julgam por você amar Urbanismo por isso, porque as coisas tem jeito. São as mesmas pessoas que não param o carro na faixa de pedestre e reclamam quando tem que colocar uma multa pra isso, porque só acham certo quando mexem no seu bolso. São as mesmas pessoas que adoraram sair mais cedo do trabalho enquanto podiam e correram atrás de ingresso enquanto jogo teve. Depois que acabou-se o que era doce, muito fácil jogar o azedo no ventilador e guardar no fundo do armário a camisa amarela e as vuvuzelas e agir como se fosse contra sempre. Como se do dia 12 de junho ao dia 08 de julho, não tivessem colocado a revolta em stand by e torcido loucamente pra mais um feriado e mais e mais gols.

É claro que tá tudo uma grande de uma merda, mas enquanto você reclama de tudo no facebook, tem gente fazendo algo pra's coisas melhorarem de alguma forma, se espelhe nestas pessoas, nesta minoria. Parem com esse mimimi que não sai do lugar. Façam alguma coisa além disso.
E agora serei a mais clichê de todas: a mudança começa dentro da gente.
Não sejam brasileiros de modinha, tomem tento.


Um desabafinho básico, sem paciência pra 
gente egoísta e sem noção: 
Torcer pra time que tá ganhando é fácil, 
e não tô falando só da Seleção.

Leiam também os desabafos da , da Magadinha e da Babi. Vem que éthois galera. 

te escrevo, de novo

Dias atrás você me perguntou se continuo escrevendo e disse que não, que muito pouco. Mas acontece que todos os dias, a cada minuto, rabisco um texto diferente na minha mente pra endereçar a você, à nós, ao futuro que chega atropelando esse presente, tão presente de nossas vidas. 

Escrevo, mesmo que você não leia mais, ou leia só de vez em quando, porque as vezes o amor não cabe no peito e precisa ser extravasado através dos dedos nervosos e impresso nesta tela de computador. Escrevo à mão ainda também, não sabe? Rascunhos e mais rascunhos perdidos em meio a tantos papéis de assuntos sérios.  Escrevo, escrevo, escrevo pra ver se sai alguma poesiazinha que seja pra salvar a humanidade e esqueço, com a mesmíssima velocidade. Escrevo e não escrevo o que é preciso, a monografia fica ali, aberta na tela e implorando por mais letras e frases coesas: nada.

Dias atrás você me perguntou se continuo escrevendo e digo que sim, porque mentalmente te escrevo e te descrevo traço por traço apenas por te olhar dormindo, como um anjo, do meu lado. E te escreverei eternamente nos meus olhos, que é pra guardar esta nossa história que de tão bonita e sincera, não se finda mais, jamais. Porque desde o comecinho, você me dizia aqueles versos de Drummond que "as coisas findas, muito mais que lindas, estas ficarão."
e te escreverei enquanto meus
dedos me permitirem, 
até ficar bem velhinha ao teu lado. 
>>